Alimentação,  Atividade Física

6 verdades sobre saúde que você precisa começar a aceitar

Senhor Tanquinho

Se você acompanha nosso trabalho há algum tempo, já sabe que adoramos destruir mitos da nutrição.

Já falamos sobre mitos relacionados à carne vermelha, a comer de 3 em 3 horas, ao consumo de gorduras, dentre muitos outros.

E, na postagem que você está prestes a ler, nós iremos destruir mais 6 mitos muito interessantes sobre alimentação e saúde humana.

Na verdade, essas são dúvidas muito comuns que costumamos receber em comentários no Youtube, ou Instagram, ou mesmo como resposta a nossos emails.

Por isso resolvemos respondê-las de forma definitiva aqui — para que assim todos possam ter acesso a elas.

E apesar de serem assuntos diversos, nos preocupamos em manter as explicações curtas para que assim sua leitura fique mais fluida.

1) “Confusão metabólica” não existe

Você simplesmente não pode “confundir” seu metabolismo.

Sempre que você ouvir alguém dizer que um determinado treino confunde o seu metabolismo…

Ou confunde os seus músculos…

Saiba o seguinte: quem está confuso mesmo é quem está falando isso.

A verdade é oposta a essa teoria de “confusão”: pois as estratégias levam algum tempo para dar resultado — sendo que elas podem inclusive exigir um período de adaptação, como é o caso da gripe low-carb).

E trocar de programa ou de dieta a cada 3 dias só vai te levar a frustrações — e não a resultados.

2) Termogênicos e “queimadores de gordura” não queimam gordura

Na verdade eles queimam o seu dinheiro.

Não importa se a blogueirinha indica o termogênico Super-Mega-Blaster-Burner-Black-Fat-Destroyer-Destruidor-De-Gordura.

Porque ele até pode aumentar levemente seu metabolismo (devido à presença de cafeína, por exemplo).

Mas não de forma a compensar uma dieta ruim aliada ao sedentarismo.

Então saiba o seguinte.

Não são os suplementos que vão te trazer resultados, mas sim uma dieta bem feita e o treinamento consistente.

3) Você não tem um “metabolismo lento”

Se o seu médico não encontrou nada em seus exames (por exemplo, na sua tireoide), então o seu metabolismo é ótimo.

Se você ainda não está perdendo gordura corporal, então é provável que você esteja com expectativas irreais.

Ou não esteja seguindo um bom plano.

Entenda: você precisa de um bom plano, que seja possível de seguir.

E, mesmo com esse plano, é necessário ter paciência e consistência.

Porque sua genética pode até tornar as coisas menos fáceis do que para alguém com genes diferentes.

Mas seu destino não está escrito, necessariamente, no seu DNA.

Relacionado: Epigenética – como o nosso estilo de vida tem o poder de modificar a expressão dos nossos genes

4) Levantamento terra não é ruim para suas costas

Levantamento terra — feito da maneira correta — faz suas costas ficarem mais fortes e mais resistentes.

E não só suas costas, mas você como um todo!

Exercícios compostos não são necessariamente perigosos — e devem ser as bases de um treino bem-feito.

(Veja a opinião dos especialistas Gigi Kaupe e Bruno Pieske sobre o assunto.)

5) Você tem de aceitar que o peso na balança vai flutuar

Você tem que entender que não vai perder peso todos os dias ou semanas

Na verdade, você sabe que, em alguns dias, vai haver um pico de peso por razões que, literalmente, não têm nada a ver com engordar.

Eu sei que você sabe disso. Você sabe muito bem.

E se você ainda ficar triste quando o número na balança não diminui, então talvez seja melhor se livrar da porcaria da balança.

Porque não vale a pena se chatear por isso.

6) Você provavelmente não come “muita proteína”

Quanto é muita proteína?

Você provavelmente não come tanto assim.

Até porque a maioria das pessoas come MENOS proteína do que poderia / deveria, e não mais.

Proteína traz saciedade, ajuda a manter massa muscular, e é super gostosa.

(E justamente por esse fator de saciedade é difícil “exagerar” nela — mesmo se você comer só carnes.)

Além do mais, até hoje nenhum estudo constatou que “comer muita proteína” faça mal para os rins (ou ossos, ou o que quer que seja) de pessoas saudáveis.

Inclusive um estudo foi feito com bodybuilders que consumiam mais de 4g de proteína por kg de massa corporal — o que pode representar mais de 300 gramas de proteína por dia!

E não encontrou nenhum tipo de marcador adversos — mesmo com essa faixa quase “irreal” de consumo de proteína.

Ou seja, você não tem que se preocupar com isso — pelo contrário, provavelmente você precisa é de mais proteína, e não de menos.

Agora queremos saber de você.

Em qual desses mitos você já acreditou?

E qual deles você acha que é mais difícil de morrer?

Comenta aqui embaixo que continuamos essa conversa!

Guilherme e Roney - Escritores no site Senhor Tanquinho - Fundadores do projeto de culinária saudável boxlowcarb.com - Colunistas no jornalcruzeiro.com - Criadores do podcast de entrevistas com especialistas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *