Comportamento

Natal e dieta combinam?

Hello Friends!

Então é Natal…De novo! E dependendo de onde você está na sua jornada para uma vida saudável, essa época é um mar de tentações alimentares.

Em todos os comerciais, nos posts das redes sociais nas vitrines, nos filmes parece que comida é tudo que se vê e você já começa a sofrer por antecipação pensando na abstinência, vai passar vontade e se vitimizar..E aí com essa autopiedade você se sente mal e quando se sente mal tem vontade de…COMER! Sim, uns jogam, outros bebem, outros estouram cartão de crédito e nós temos vontade de comer e principalmente aquilo que cutuca a área de recompensa do cérebro com a gratificação instantânea como açúcar e processados igual aos outros vícios que listei. Aí ficamos felizinhos. Mas essa gratificação instantânea passa e a calça apertada fica. E agora? Hashtag comofaz?

Meu coaching sempre começa com um ponto muito importante que é autoconhecimento e autoaceitação. Quem é você na fila do pão? Como é seu relacionamento com comida? Parece uma pergunta boba mas ela tem que ser mais que uma resposta, tem que ser uma reflexão. De verdade, quem é você nessa fila do Panetone?

Se você não tiver isso claro você vai continuar se enganando em tentar estratégias que você sabe que não funcionam para você mas vai te dar um alívio pra se jogar na rabanada sem consciência pesada. Ela só virá depois. Por exemplo, você vai começar a ver vários posts dizendo que “não é o que você come entre o Natal e Ano novo que engorda e sem o que come entre o ano novo e o Natal”,  vai ver também profissionais da saúde comendo um Panetone de Nutella dizendo que “equilíbrio é tudo” e é só voltar a linha no outro dia” e “abaixo o terrorismo nutricional”.

Eu concordo com tudo isso! As exceções não tem problema mesmo. Eu faço isso com bebida. A última vez que bebi foi em Setembro de 2017 e devo beber no ano novo no brinde com minha família. Minha saúde não está em risco por isso nem meu relacionamento com bebida. Eu nem bebo. Mas eu não usaria essa dica para um grupo de pessoas que tem dificuldade em tomar uma taça só porque esse problema que define as condições delas. E dizer para uma pessoa que é só voltar para linha no outro dia acaba sendo muito inocência. Quem engordou 5kg, 10kg, 20kg sabe que tem dificuldade em voltar pra linha. Não faz sentido dizer pra abrir a caixa de bombom e  comer um por dia. A gente sabia disso já! Fomos nós que comemos a caixa inteira! Calma, não vá achando que precisa fazer terapia por isso! Quer dizer, terapia todo mundo precisa, mas um fumante não vai fazer terapia pra aprender a fumar de vez em quando. E açúcar, álcool, tabaco estão juntinhos na mesma caixinha.

De novo, essa estratégia de abrir exceções serve para muita gente de verdade. As musas e Panicats das redes sociais fazem isso mas não use isso para ser uma mentira conveniente para você. Quer uma estratégia para se entender? Como foi no Natal passado? Ficou na linha desde então…Ou teve Páscoa, festa junina, seu aniversário, sua viagem pra Disney etc?

Outro ponto importante é esse sentimento de “É só uma vez ao ano”… Aham.. No meu primeiro livro tem um capítulo sobre isso chamado “Tem Páscoa toda semana” sobre esse gatilho mental da escassez. Temos a impressão que se não aproveitarmos agora estaremos perdendo uma oportunidade única! Cada vez que fazemos algo que vai contra a um bem estar futuro que estamos perdendo a oportunidade única de ser feliz de verdade e não só no momento. Ninguém se arrepende depois de ter feito na hora o que é melhor e certo. Sabe o dia que você se arrasta pra academia e vai até de mau humor? Com certeza foi dormir depois feliz e satisfeito por ter ido.

Mas as “Mentiras convenientes” são bem fortes mesmo. Já ouviu que você não pode fazer dieta em viagem pq a gastronomia é parte da cultura local? Concordo. Mas experimentar é uma coisa, comer aquilo que você sabe que não é bacana pra você é safadeza. Um vegano não vai comer um típico churrasco argentino, ou talvez você não coma barata na china e nem mesmo cachorro na Coréia por mais que seja um prato típico! Você quer é se enganar pra comer um Gelatto italiano no primeiro dia de viagem e daí vai acabar ligando o “Dane-se” até voltar pra rotina no Brasil. Ah, e você sabe que não era “Dane-se” a palavra que quis usar! Haha.

Enfim, voltando ao Natal, decidiu quem é você na fila da rabanada? Então a partir disso você estipula as estratégias para a ocasião. Vamos a elas:

Se você já está bem, no seu peso, autocontrole, já sabe o que é ok pra você. Se já virou um estilo de vida ,e isso vem com o tempo, talvez você já tenha passado por situações semelhantes e sabe tirar de letra. Se conhece e já está segura e plena sem o foco na comida. Ou até mesmo pra comer alguma coisa sem perder a linha. Aliás é outra mentira conveniente que a comida é celebração e temos que comer tudo que está na mesa. É sim, comida e não o que chamam de comida. No natal de 2016 fui passar com uma amiga e para a ceia fizemos (ela fez, claro) farofa de farinha de amêndoas e um pudim lowcarb. E lá foi só juntar com o peru, leitoa e outras carnes natalinas que foi tudo ótimo e continuamos comemorando com comida!

Mas se você ainda está no meio do caminho e insegura e evitando comemorações que envolvam tentações, a grande sacada nessa que não dá pra evitar é não se vitimizar e ter certeza que tenha a mesa as coisas mais gostosas daquilo que você considera “permitido”. Você será a especial e diferentona de uma forma positiva assim como um vegetariano não se vitimiza por não comer. Ele está tão tranquilo de suas escolhas que não se vê como diferente de uma maneira ruim. Lembra do exemplo da academia? Você não se arrependerá de fazer o que você mesma decidiu que é o certo. E nessa fase, as vezes é importante evitar o “primeiro gole”. É muito mais fácil não comer o primeiro brigadeiro do que o segundo. E acho que você sabe disso.

Vai começar agora a entrar na linha? Bem, nunca é tarde e como “tem páscola toda a semana”, não dá pra procurar um mar extremamente calmo pra começar…Maaaasss precisa sim de um alinhamento dos astros para o começo. Principalmente se você for fazer uma estratégia lowcarb, Paleo, sem açúcar, você vai passar por aquelas semanas de adaptação, as vezes tem até abstinência física. O tempo de estrada é muito aliado e o começo sempre é difícil. Você já viu as primeiras semanas de quem parou de fumar? Então, se você estiver com acompanhamento até para pegar na mão, ok.Ajuda muito. Mas se você vai tentar por você mesma do zero, pode bater no meio do caminho a desistência e jurar juradinho que no ano novo vai começar. Neste período você vai ficar assombrado pelo fantasma da restrição que virá e vai querer comer o mundo! Até pé da mesa da ceia de natal no pensamento que deve comer logo pq depois vc vai emagrecer e não vai poder comer mais. Esse pensamento de restrição sem estratégia é muito conhecido. Ou estamos engordando ou emagrecendo. E a conta sempre ficava negativa engordando mais por essa neura, A neura que engorda. E muito.

Então se for deixar para depois não pense no assunto, vai se organizando e preparando, estudando e não pense nunca que “Nunca mais”. Pensa no primeiro exemplo que dei da pessoa que já está com muito tempo de estrada. Ela vai decidir o que comer e quando e sem neura. Deixe essa pessoa chegar. Ela é sua versão magra, saudável e com uma baita autoestima que mora no futuro e ela virá aos poucos com as pequenas ações que você vai tomando hoje criando novos hábitos, descobrindo novos sabores, novos prazeres, acertando e errando. Mas sempre fazendo o que é bom no longo prazo e fugindo das mentiras convenientes que você no fundo sabe quais são quando você refletir quem realmente é você na fila do Pudim LowCarb.

Feliz Natal

- Coach membro da Sociedade Brasileira de Coaching - Graduando em psicanálise clínica - Primal Health Coach - Palestrante e autor do livro Pare de gostar do que te faz mal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *